Carnaval Latino no Sesc Santo Amaro

O Carnaval acontece em várias regiões do mundo, incorporando culturas locais, reforçando a tradição da festa, da música, da dança e das artes visuais . O SESC Santo Amaro propõe apresentações artísticas representando a diversidade do Carnaval latino, destacando a produção nacional e argentina.

Folias Brasileiras com Inimar dos Reis

Dia(s) 09/02
Sábado, 14h.

Uma viagem ao imaginário popular com danças, músicas e brincadeiras do ciclo carnavalesco de várias regiões do Brasil. É um retrato cênico e musical dos elementos marcantes da riqueza desta festividade nacional. Local: Convivência e Praça. Grátis.

Murga Zarabanda Arrabalera (Argentina)

Dia(s) 09/02, 10/02, 11/02, 12/02
Sábado, domingo, segunda e terça, 17h.

Nasce em 2008 no bairro de Parque de los Patricios (sul da capital federal da Argentina). Representante popular do carnaval portenho apresenta em seus espetáculos a estrutura artística tradicional deste gênero carnavalesco (Desfile de entrada, Recital de entrada, Canção de entrada, Crítica, Homenagem, Recital de retirada, Canção de retirada, Desfile de retirada) e trabalha fortemente sobre a musicalidade e poética cidadã, utilizando de canções e ritmos para realizar um recorrido pela história do carnaval e do tango, da milonga e outros ritmos latinos que marcaram a identidade estética e artística dos bairros portenhos. Além de utilizar os instrumentos típicos de percussão murguera, bumbo e pratos, Zarabanda incorpora a utilização de violão e bandoneon, dando um tom mais local às suas canções. No tocante as coreografias apresentadas, também apresenta esta fusão de passos carnavalesco com cortes de tango “cayengue” ou de salão. Local: Convivênca e Praça. Grátis.

Baú de Fantasias

Dia(s) 10/02
Domingo, 14h.

A apresentação traz de forma sintética, a imagem dos antigos carnavais dos clubes, em que as fantasias simples de personagens típicos do carnaval como “o pirata”, “a colombina”, “o pierrô”, “o índio” entre outras, eram comuns aos foliões. A proposta da troupe é tocar antigas marchas de carnaval e brincar com o público, tirando do baú máscaras e adereços para enfeitar os foliões durante sua trajetória pelo salão, carregando um enorme baú de fantasias, sobre um carrinho deslizante. A alegria contagiante das atrizes Alessandra Brantes e Azê Diniz para vestir e maquiar os participantes e diverti-los com brincadeiras e danças circulares e ainda, a vibração dos músicos tocando marchas carnavalescas. Local: Convivência e Praça. Grátis.

Sambaqui

Dia(s) 11/02
Segunda, 14h.

Grupo constituído por pessoas de formação diversificada, que tem como principais atividades a pesquisa e a vivência de manifestações da cultura tradicional afro-brasileira da região sudeste, tais como Samba de Bumbo, Jongo e Batuque de Umbigada. Porém, o Sambaqui busca uma vivência não apenas imitativa, mas também criativa dessas práticas culturais, o que fica evidente em suas apresentações, quando, além de melodias tradicionais, o grupo mostra diversas composições próprias e muitas vezes “brinca” com o improviso de versos, sempre ao som de belos tambores construídos artesanalmente por integrantes do grupo. Local: Convivência e Praça. Grátis.

Bateria Alcalina

Dia(s) 12/02
Terça, 14h.

Além do samba, interpreta diversos ritmos afro-brasileiros adaptados para a formação de bateria de escola de samba. Ritmos tradicionalmente tocados com atabaques, alfaias, djembês e outros instrumentos são adaptados para surdos, caixas, repiniques, tamborins, chocalhos, reco-recos, pratos, timbau e agogôs de quatro bocas: maculelê, coco, afoxé, samba reggae, funk, e ritmos criados pelo grupo integram o repertório. Os integrantes cantam e dançam os diferentes estilos interpretados, transmitindo não só a cultura do samba, desenvolvendo de maneira ampla a musicalidade afro-brasileira. O grupo dialoga com outras manifestações artísticas e culturais, como dança, artes plásticas, circo e capoeira: bonecões gigantes, bailarinas, artistas circenses e números de pirofagia integram o espetáculo, refletindo toda sua versatilidade. Criada em 2003 no Instituto de Artes da Unicamp por estudantes e pessoas da comunidade. Nascida como bateria universitária, logo se destacou por sua proposta e característica singular. Atualmente, é aberta a qualquer pessoa interessada em aprender a tocar percussão e buscar um desenvolvimento através da música. Local: Convivência e Praça. Grátis.

Sesc Santo Amaro

Rua Amador Bueno, 505 
Santo Amaro
cep 04752-005
telefone: 5541-4000

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong> 

Current day month ye@r *